top of page

Maconha: Como reverter os sintomas do uso continuado


Olá, amigos,

A nossa conversa hoje é em resposta a meus amigos que foram levados ao consumo frequente da maconha, uns por carência afetiva, outros por pura curiosidade, ou por modismo, e que, agora, estão preocupados com os sintomas que surgiram.

É bom deixar claro que essa conversa não serve para quem nada quer saber sobre sua saúde orgânica nem mental, e que prefere continuar “curtindo” seu baseado.

Ou seja: para quem prefere acreditar que o consumo da maconha não faz nenhum mal ao organismo, nem assista ao vídeo e nem leia o artigo.

Nossa conversa é para quem está consciente dos prejuízos em seu organismo, ou no de algum amigo, e que quer se livrar deles, ou ajudar um amigo a isso, para que seja possível voltar a ter uma vida normal, com todos os prazeres, sem necessidade de aditivos.

Antes de mais nada, saibam que nunca é tarde para dar a volta por cima e reconstruir toda essa estrutura mental que foi alterada pela droga.

Lógico que o organismo de cada um é diferente, o que significa que o tempo de recuperação não é padrão para todos.

Mas o mais importante é querer voltar a ter uma vida normal, com suas motivações naturais, seus sentimentos e emoções funcionando normalmente, podendo voltar a ser uma pessoa satisfeita para com a vida.

Tudo começa com a criação daquela força de vontade que pode ter sido esgotada aos poucos.

Nada é impossível. Apenas não crie expectativas de resultados imediatos. Os resultados virão aos poucos, mas de forma definitiva.

Vamos saber primeiro onde ocorreram os prejuízos?

FIGURA 1

Tudo começa nos neurônios, são quase cem bilhões na nossa cabeça.

Eles são células especializadas, responsáveis por todo o trabalho do nosso cérebro.

Para tudo na nossa mente e no nosso organismo funcionar, os neurônios precisam estar em constante comunicação entre eles por meio das suas antenas.

Aí está a figura de um deles.

Essas antenas chamadas de dendritos recebem informações de milhares de outros neurônios nas proximidades.

Essas antenas chamadas de axônios são as que transmitem informações para milhares de outros neurônios.

Essa comunicação entre eles é por meio de descargas elétricas e por liberação de substâncias químicas.

As substâncias químicas, que são chamadas de neurotransmissores, são as principais responsáveis pela nossa emoção, nosso sentimento e nossas motivações.

FIGURA 2

Nessa figura você vê as vesículas cheias de bolinhas que são as substâncias químicas neurotransmissoras.

Abaixo é a figura de uma vesícula liberando essas substâncias.

No receptor do outro neurônio, são recebidas as substâncias liberadas.

Esses neurotransmissores são os que permitem que a gente sinta alegria, tristeza, raiva, medo, disposição, indisposição, vontade, falta de vontade, e assim por diante.

Entre essas substâncias estão: dopamina, serotonina, adrenalina, etc.

Quando nós ingerimos drogas de forma continuada, sejam elas lícitas, como álcool e medicamentos, ou sejam ilícitas, como a maconha, cocaína e outras, o nosso organismo detecta que existem substâncias a mais do que as que precisariam ser liberadas e começa a reagir contra isso.

A depender das características do nosso organismo, essas reações podem ser lentas ou rápidas, mas sempre acabam reduzindo a produção dos neurotransmissores naturais, coisa que vai fazer falta mais tarde.

Em alguns casos o organismo começa a criar uma rejeição a essas drogas externas, fazendo com que elas percam o efeito.

Em outros casos podem surgir reações fatais, como AVC precoce, ou sintomas diversos, como já comentamos nos vídeos anteriores sobre esses assuntos.

A mais comum é a síndrome amotivacional, uma crise de falta de vontade para tudo, desânimo para com a vida, sentimento de incapacidade de raciocínio, e desmotivação até para o sexo.

Qual o caminho a seguir?

Lógico que, para quem tem possibilidade de investir em um tratamento de recuperação, há clínicas especializadas nisso. Há até tratamento online, como o oferecido pela www.sossobriedade.com.br/terapia-online

Mas para quem não pode arcar com esses custos, vamos a três dicas simples, mas importantes, que podem ajudar bastante nessa recuperação.

É importante se livrar dos pensamentos sabotadores, que são aqueles que surgem “do nada”, apenas para desanimar a gente a iniciar qualquer atitude de mudança radical em nossa vida! Livre-se deles!

Então vamos lá:

Cada uma dessas metas precisa que seja cumprida com prazer, ou seja, que seja descoberto o prazer em cada atitude, em cada momento, em cada trabalho, em cada estudo, em cada planejamento.

As três dicas são: 1ª – alimentação e água; 2ª – rotina e metas; 3ª – comunicação intrapessoal.

Vamos a 1ª – alimentação e água

Beba água frequentemente. Embora refrigerantes e sucos contenham água, o importante é reservar espaço para água pura.

Invista em uma alimentação de qualidade, para que o organismo, incluindo o cérebro, se fortaleça aos poucos, para dar suporte a uma nova fase de energias e motivações que marcarão o seu retorno à normalidade.

Faça um bom planejamento em que estejam incluídos todos os tipos de frutas, legumes, verduras, ovos, etc. O ideal é buscar a ajuda de um nutricionista.

Mas o mais importante: alimente-se e beba água com prazer. Para isso procure colocar em seus pratos o seu tempero favorito e curta suas refeições.

2ª – rotina e metas

Escreva a sua rotina diária e analise. Veja o que precisa manter, o que pode eliminar e o que pode mudar.

Nesse planejamento coloque um momento para fazer algo que você gosta muito. Se alguma coisa que você goste muito não possa ser feito diariamente, programe de forma semanal, ou duas ou três vezes por semana. Mas é importante que as coisas que você curta estejam sempre em seu planejamento.

Crie uma meta para cada dia e assim você vai criando o seu objetivo de vida. Mas se você já tiver um objetivo de vida, crie suas metas diárias visando a realização desse objetivo.

Crie horários fixos para ter acesso as redes sociais, jogos eletrônicos etc., para evitar que eles dominem seu dia e criem a angústia da falta de tempo ou da falta de produtividade.

Inclua, nessa rotina, atividades físicas regulares, sem exageros que possam fazer você desistir delas. Escolha caminhada em um dia, musculação em outro, natação ou aeróbica no terceiro, numa sequência leve, mas prazerosa, que trará energia e vitalidade, com certeza.

3ª – comunicação intrapessoal

Essa é a parte mais importante, e é a que vai voltar a ligar você a você mesmo!

Nada de criar expectativas de resultados imediatos, porque isso só traz angústias e atrapalha tudo!

Está sendo constatado, todos os dias, que a nossa mente trabalha incessantemente tentando corrigir todas as anomalias em nosso organismo.

Não há, absolutamente, limites, para essa atuação terapêutica que é realizada por nós mesmos.

Então, basta seguir as orientações para elevar a sua autoestima a cada momento de sua vida, que sua mente estará trabalhando a seu favor, e nunca mais contra você.

Ela produzirá toda a medicação necessária à sua recuperação (os neurotransmissores), e com uma imensa vantagem em relação às prescrições médicas:

As substâncias químicas geradas pelo seu organismo não trazem qualquer tipo de efeito colateral, nem produzem dependência alguma!

E para que isso ocorra com mais facilidade e com maior rapidez, nossa atuação deve ser, em primeiro lugar, não atrapalhar esse processo natural, que seria, por exemplo, criar ou dar atenção, a pensamentos negativos ou sabotadores.

Não queira esquecer os pensamentos negativos nem os problemas! Isso porque, no momento em que queremos esquecer de alguma coisa que nos faz mal, aí é que nossa mente faz esse pensamento ficar ainda mais forte!

Deixe-os lá! Apenas comece a dar mais atenção ao que é bom, que é a recomendação que vem agora, em segundo lugar:

Comece a identificar seus valores, suas virtudes, seus pontos positivos, seus bons relacionamentos, ou seja: tudo o que há de bom em sua vida e que, por causa dos problemas, você está esquecendo deles.

Aprenda a gostar de você. Na realidade, a amar você!

Dedique um momento de seu dia para apreciar você, iniciando pela maravilhosa e prazerosa arte de respirar, mas imaginando que é a força de seu coração que está trazendo o ar para os pulmões e expelindo ele de volta. Sinta isso com prazer.

Em outro momento, bem relaxado, procure sentir a vibração de todas as células de seu corpo.

Quando elas começarem a vibrar, sinta isso como um momento de prazer.

Aos poucos você perceberá que até as células neurais, ou seja, os neurônios do seu cérebro, parecem estar vibrando junto!

Juntando esses dois exercícios com as recomendações 1 e 2 que dei no início, pode ter certeza de que seu organismo, sozinho, mesmo sem ajuda externa alguma, vai começar a se recuperar totalmente, um pouco a cada dia.

E o mais importante é que, além de se recuperar, você estará construindo um novo EU, ou seja, uma nova personalidade, mais segura em relação a você mesmo, e pronta para passar a viver uma vida de satisfação, sucesso e felicidade.

Assista, também, ao meu vídeo: Reflexões sobre o Sentido da Vida.

Lá eu dou mais algumas dicas sobre isso.

Assista o vídeo, leia o artigo, e reflita. Qualquer dúvida entre em contato comigo e vamos trabalhar, juntos, nessa recuperação total!

Breve você será outro!

É isso, amigos!

Quem ainda não adquiriu meus livros, entre no blog robertoandersen.blogspot.com e clique na capa deles.

Os livros serão enviados pelo Mercado Livre.

Forte abraço!

Sejam muito felizes!


51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Poder do Coração (TEXTO

O PODER DO CORAÇÃO O coração tem, realmente, alguma coisa a mais do que dizem os livros de biologia e de medicina? XXXXXXX É, amigos! O coração não é, como dizem os livros de biologia e medicina, apen

bottom of page